Memorial

Memorial, Gustavo José Meano Brito – Outubro 2020

Gustavo José Meano Brito

Memorial

Rio de Janeiro, 2020

  1. Infância

Minha trajetória na vida de estudo começou aos 9 anos de idade, quando me fiz a pergunta de onde eu vim e para onde eu vou. Ao mesmo tempo que recebia a primeira comunhão na Igreja Católica Apostólica Romana, já me fazia questionamentos que mais a frente iriam me levar a tornar-me um pesquisador, não só nas ciências biológicas, mas também nas ciências humanas envolvendo direito, filosofia e teologia.

  1. Ensino Médio

Ao cursar o ensino médio tive a oportunidade de fazer um curso Técnico de Eletrônica, na Escola Estadual Henrique Lage, no qual me formei como auxiliar Técnico em Eletrônica aos 16 anos para fazer, o pré vestibular e me apaixonar pela Biologia, matéria que não havia estudado no Curso Técnico.

  1. Primeiro trabalho e Início da Vida Acadêmica

 Ao mesmo tempo iniciei a Faculdade de Direito na Cândido Mendes no Centro do Rio de Janeiro, e o Bacharelado em Biologia na UERJ do Maracanã.Tudo isso trabalhando no Centro de Processamento de Dados do Banco Real S/A, onde comecei a minha arte laborativa aos 16 anos de idade como contínuo na Agência Grandes Grupos, e posteriormente fui para o cargo de Escriturário, nas Agências Copa Posto II e Clube Militar da Praia Vermelha.

  1. Detalhando as Primeiras Graduações

Tentei uma bolsa na Cândido Mendes, porém não consegui, e decidi me dedicar integralmente a biologia depois de um Semestre trabalhando a Noite e estudando em horário integral. Com ajuda da minha família pude me dedicar aos estudos e descansar mais, já que no primeiro semestre acabei sendo reprovado em duas disciplinas devido a dormir muito nas respectivas aulas de Química e Histologia, pois não aguentava a carga de trabalhar a noite inteira assistir às aulas pela manhã.

  1. Monografia da Primeira Graduação

Desenvolvi uma Monografia na Área de Biotecnologia Vegetal junto ao Departamento de Biologia Celular da UERJ, onde fui Bolsista da FAPERJ por 2 anos, e trabalhei com regeneração “in vitro” de bromélias.

  1. Mestrado

Nesta fase de minha vida meus interesses de estudo e pesquisa estavam totalmente voltados para a Biologia Vegetal, e prestei concurso para a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queirós no Departamento de Genética e Melhoramento Vegetal, na Universidade de São Paulo, onde fiquei pesquisando  plantas transformadas com Gene CAB, e assimilação de Nitrato e Capacidade fotossintética, nestas plantas, entre 1998-2001, com bolsa da CAPES, com a Orientação do Doutor Carlos Alberto Labate, e tendo participado da Banca o Doutor Ladislav Sodec contemporâneo, e que trabalhou com o descobridor do Ciclo de Krebs, cujo vínculo busquei através de colaboração, tendo trabalhado por 1 semana com meus experimentos na Universidade de Campinas. Aprovado com Louvor obtive nota 10 na dissertação de Mestrado.

  1. Outras Graduações e Concursos Públicos

Após voltar para o Rio de Janeiro, comecei um sonho antigo de graduar-me em Direito também, iniciei no segundo semestre de 2000 no Bacharelado em Direito da Universidade Estácio de Sá,  e buscando uma vaga para trabalho comecei a prestar concursos públicos nas mais diversas áreas.

No último semestre de 2001 fui aprovado na prova teórica do concurso de Agente da Polícia Civil, entretanto na prova física fui reprovado, estava entre os 15 primeiros em um pelotão de 200 pessoas correndo em busca da vaga, e me foi informado que eu deveria parar ao chegar ao semáforo após 2400m, que deveriam ser cumpridos em 12 min, eu parei no semáforo, só que não me informaram que eram 2 semáforos um para as mulheres e um segundo para os homens. Sendo assim, ao parar fiz uma hipoglicemia ao parar, e não consegui levantar para chegar ao segundo semáforo e terminar a prova.

Também tive aprovação na Prova de Perito da Polícia Civil, onde fiquei em 25 colocação, porém não fui chamado, eram 5 vagas. Outra aprovação na primeira fase foi na Polícia Federal, no cargo de Perito, porém a minha redação não foi corrigida pois fiquei em 26 quando só corrigiam as 25 primeiras, para uma única vaga.

  1. Aprovação no IBAMA e INPI

Outro concurso que prestei com aprovação foi o do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente, para este fui chamado para ocupar a vaga em Aripuanã, cidade de 10.000 habitantes, porém escolhi declinar para continuar no INPI, onde eu já tinha tomado posse em 2002, para o cargo de Analista de Propriedade Industrial.

Antes de Entrar no INPI eu estava trabalhando na Secretaria de Meio Ambiente de São Gonçalo, e fui indicado para fazer o curso de Gestão para a Educação Ambiental na UERJ, pelo programa de Despoluição da Baía da Guanabara, tendo concluído com uma monografia na área de como pode a educação ambiental influenciar na melhoria do amor do aluno pelo estudo, aplicando questionário e participando de plantio de árvores no município de Nova Iguaçu.

Fazendo também, antes de entrar no INPI, modalidade de Licenciatura na UERJ, onde fiz meu estágio no CAP-UERJ, no qual fui inclusive convidado para ser professor contratado, porém declinei por estar focado nos concursos públicos.

  1. Devastação pela Esquizofrenia

Indo para o ano de 2003, quando chegou o mês de Agosto, embora estivesse tudo bom no ramo profissional e pessoal, entrei em conflitos pessoais com uma atitude pessoal que tinha tomado no ano de 1999-2000, em profundo  conflito pessoal, me vi em uma situação de viagem interior que me levou a querer mudar totalmente minhas atitudes para comigo e para com o mundo.

Eu acreditava que mudaria o mundo por ações positivas, através da minha positividade e positividade dos outros, me tornei extremamente excêntrico, e as pessoas começaram a me chamar de Jesus Cristo.

Com solicitação da minha família fui até um psiquiatra, que me disse para tomar medicamentos, porém eu na minha pessoalidade só estava querendo com toda sinceridade fazer o bem ao próximo.

Eu relatei a este psiquiatra, eu sei que estão falando que eu acho que sou Jesus Cristo, porém eu sei quem eu Sou, sou Gustavo José Meano Brito, e estou interessado em, com o Conhecimento da Atualidade, reformar as ideias de Jesus, levando a todos que devemos amar mais ao próximo do que a si mesmo, pois assim o amor reverbera no mundo e volta infinitamente para você.

Saí daquela consulta e minha mãe chorava muito, ela me pediu para ver outro médico, me levou a um local e disse para eu esperar alí. Fiquei esperando, e quando eu perguntei pelo médico, fui informado que estava internado. Fiquei 5 dias internado, contra a minha vontade.

Minha namorada da época não entendeu nada, meu cunhado da época não entendeu nada e era Psicólogo, meu irmão não entendeu nada.

Cinco dias depois saí da internação, porém já tinha sido devastado, pelos medicamentos psiquiátricos, e pela crença de todos que estavam ao meu redor. Ao ser amarrado em uma cama com braços abertos e pés unidos como a posição de Jesus entendi, não sou Jesus como dizia, porém sou mais um Cristo no Mundo.

De 2003 até 2006 levei tempo para entender que a devastação deste diagnóstico só poderia fazer com que eu fosse compreendido se eu aceitasse a medicação, afinal de contas, o mundo atual está preparado para alguém que pensa e age como cristo fora do padrões do Status Quo?

Mesmo depois de diagnosticado e alguns percalços terminei a graduação de direito em 2010, e optei por ficar somente no INPI, já que acreditava que um Advogado com internação não seria bem recebido pela sociedade, por este motivo nunca quis prestar a prova da ordem.

  1.  Aposentadoria no INPI

Trabalhei no INPI até 2012, pois onde a junta médica me ofereceu a aposentadoria, e em 2013 conheci o Programa Entrelaços no IPUB-UFRJ, onde fiz um curso de 2 anos com minha família, após dois anos de Curso fundamos o Mentes em Ação, grupo de pares no qual atuo voluntariamente como Coordenador para auxiliar famílias, pais, filhos amigos e parentes a vivenciar o diagnóstico, se empoderar e quebrar o Estigma.

  1. O Surgimento da Sociedade do Amor e trabalho voluntário no Mentes em Ação

Eu nunca parei mesmo após o diagnóstico, com a terapia Junguiana, busquei fundar em 2005 a Fundação Sociedade do Amor, que tem por missão levar o amor universal a todos os seres, através de ações de amor, já fizemos trilhas, visitas a orfanatos, e esta minha atuação no Mentes em Ação é uma forma de concretizar junto com os pares a minha Sociedade do Amor idealizada, porém a sociedade do Amor é muito maior.

Este trabalho do Mentes em Ação foi Coroado com a Apresentação do Congresso de Psiquiatria de como é importante na vida do Usuário do Sistema de Saúde Mental a participação de Grupos de Pares, uma alternativa a unilateralidade da Psiquiatria e Psicologia tradicional. Levando ao empoderamento dos indivíduos frente a manifestação da doença. Também temos colaborações com outras organizações como o CDD – Crônicos do Dia a Dia, que é uma organização não governamental que está entre as top 100 Brasil, no qual passamos um dia de imersão em São Paulo, financiados por indústrias farmacêuticas para estudar e debater a Esquizofrenia com outras organizações.

  1.  Outras Especializações na Área de Saúde Mental 

Comecei a Buscar formação na Área de Saúde Mental participei de congressos e fiz  cursos de especialização com o Centro de Novas Abordagens e Estudos Terapêuticos, dando mais robustez ao meu trabalho.

  1.  Graduação em Processos Gerenciais

Visando montar uma Organização Não Governamental iniciei em 2019 o Curso de Processos Gerenciais, o qual estou terminando agora este Semestre, na Universidade Estácio de Sá.

Minha participação Científica foi portanto intensa durante todo o período das diversas Graduações, Especializações  e Mestrado, ficando apenas um tanto instável no período que fui acometido pela Esquizofrenia, Apesar disto neste período redigir uma monografia junto à Universidade Estácio de Sá cujo tema foi a Indústria do Açúcar como ele é uma molécula que pode ser trabalhada por aqueles que a manipulam no lado mais forte do processo produtivo frente a fraqueza e desconhecimento dos fatores de vício pelo mercado consumidor. 

  1. Cursos de Coach pela Sociedade Brasileira de Coach e Instituto Brasileiro de Coaching

Buscando me aprimorar ao lidar com o próximo, e auxiliar os iguais, em Janeiro de 2020 fiz o Curso de Personal e Profissional Coach na Sociedade Brasileira de Coach, que influenciou muito no meu empoderamento, e na vontade da transformação do outro, quando este está interessado nisto. Com o início da pandemia e vários cursos na área oferecidos pelo Instituto Brasileiro de Coach, aproveitei e fiz vários em paralelo com a ajuda da resolução de problemas junto aqueles que frequentam o Mentes em Ação e demais grupos do Programa Entrelaços, programa este, que este ano foi indicado entre os finalistas do Prêmio Internacional  Dr. Guislain.

  1.  Continuação da Jornada Acadêmica no Doutorado da Fundação Getúlio Vargas

Pretendo continuar a minha jornada de Vida no Doutorado Acadêmico da Fundação Getúlio Vargas, e assim podendo contribuir para o conhecimento daqueles que tem sede de saber. Focar na Pesquisa sobre a História e a Saúde Pública e Particular no Brasil, Vislumbrando uma Tese que levante a Hipótese de que programas e associações que paralelamente ao SUS e Rede Particular fornecem serviços e novas abordagens terapêuticas para o cuidar de pacientes e familiares com transtornos mentais severos.

A Pergunta principal é: O Programa Entrelaços está na direção correta pela experiência, dentro dinâmica/experiência mundial? e dentro da história da Saúde Pública no Brasil? Qual é a possibilidade de implementação desta excelente Prática Junto aos demais entes do Sistema Único de Saúde e Entidades Privadas vinculadas, direta e indiretamente a Saúde Mental.

Vislumbro fazer durante o trabalho e elaboração da Tese um Panorama antes, durante e pós crise causada pelo Covid-19. Verificando como caminhavam, caminharam e caminham as organizações como ABRATA, AMME, ABRE, CAPS, fazendo um perfil histórico da Saúde Mental Pública e Particular no Brasil.

  1.  Fechamento

Como ficou claro tenho vasto conhecimento e busca do Saber nas mais diversas áreas do conhecimento, pois já que o homem é guiado pela Arte, Filosofia, Ciência e Religiões busquei entender cada uma destas para chegar até o presente momento. As minhas experiências levaram a fazer do conhecimento adquirido o melhor que se pode fazer, contribuir com a população.

Acredito que como doutorando em História, Política e Bens Culturais, vou poder me debruçar ainda mais no trabalho e pesquisa da minha atual área de interesse que é Saúde Mental junto da Fundação Getúlio Vargas, e Instituto de Psiquiatria da Universidade do Brasil, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Desta Forma, será possível partilhar os meus conhecimentos adquiridos, e vislumbrar uma carreira acadêmica e profissional onde tudo aquilo que acumulei graças ao Estado Brasileiro e minha constante busca do Saber possa ser revertida para a população em geral, em especial acometidos de transtornos mentais severos.

Uma ideia sobre “Memorial, Gustavo José Meano Brito – Outubro 2020”

  1. Legal, Gustavo!
    Quanta aprendizagem durante esse tempo. Você é exemplo de força de vontade. Você acredita onde quer chegar, e o melhor, acredita em você.
    Parabéns por me inspirar!!!!
    Beijo, Luiza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *